Thursday, June 22, 2017

Dizes que me amas, largas-me. Dizes que me queres, foges. Já não sei mais o que pensar quando passo pela cidade e todos os lugares me fazem lembrar de nós. Quero apagar-te da memória, mas não consigo. Quero conseguir respirar, mas dói. Quero lembrar-me de mim, mas não é possível. Apenas vejo-te nos espaços de encontros, onde procuras alguém que não eu. Vejo-te esquecida de mim, de um passado, das pessoas que nós fomos. 
Talvez nunca mais consiga ser feliz. Talvez não encontre mais o amor. Se ele falasse por mim, estaria morta. Envolvida no teu sangue venenoso. Veneno que mata a todo o instante. Nem as palavras fazem mais sentido, nem os meus sentimentos, nem quem eu queria que fosse, nem o futuro... Morro por antecipação de algo que nunca vai acontecer. Quero tanto odiar-te, mas amo-te. Amo-te e alimento-me de todo o teu ser. 


As memórias são um monstro dos meus dias. 

Wednesday, June 21, 2017

Perdi a minha melhor amiga. Já não penso no amor e nas relações. Penso na melhor amiga que perdi. Perdi-te e eu não sei perder-te.
Não sei passar os meus dias sem estar contigo, sem rir contigo, sem ver filmes contigo, sem falar contigo. A amizade era mais forte que qualquer outra coisa. E isso perdeu-se. Já não sei o que dizer às pessoas quando perguntam por nós. Não idealizei que acabássemos assim. Dizia no passado que quando acabássemos íamos jantar fora porque ias ser alguém de sucesso. Tu dizias que sim. Íamos ser amigas para sempre. 
Não quero que me esqueças, não quero que deixes de ser minha amiga, a tua falta tornou-se uma pedra no coração e insiste em não desaparecer. Somos diferentes, eu sei, temos incongruências, eu sei. Mas não quero perder as tuas palavras, os teus abraços, as novidades da tua vida. 
O futuro não sabe de nós, muito menos o presente. Sei que não quero passar por ti e ser um passado doloroso. Quero saber que me vais procurar porque a amizade é mais forte. E há mil teatros para ver, mil concertos para ouvir, mil histórias para ver, mil acampamentos, mil brigadas, mil tardes quentes no Porto, mil momentos a partilhar.
Se for o fim... Lá terei de viver com esse fim. O fim da nossa amizade. 

Mas o que sobrou de nós? Nunca terei respostas tuas. Mas sei que um dia será tudo mais fácil. 



blogger template by lovebird