Thursday, June 22, 2017

Dizes que me amas, largas-me. Dizes que me queres, foges. Já não sei mais o que pensar quando passo pela cidade e todos os lugares me fazem lembrar de nós. Quero apagar-te da memória, mas não consigo. Quero conseguir respirar, mas dói. Quero lembrar-me de mim, mas não é possível. Apenas vejo-te nos espaços de encontros, onde procuras alguém que não eu. Vejo-te esquecida de mim, de um passado, das pessoas que nós fomos. 
Talvez nunca mais consiga ser feliz. Talvez não encontre mais o amor. Se ele falasse por mim, estaria morta. Envolvida no teu sangue venenoso. Veneno que mata a todo o instante. Nem as palavras fazem mais sentido, nem os meus sentimentos, nem quem eu queria que fosse, nem o futuro... Morro por antecipação de algo que nunca vai acontecer. Quero tanto odiar-te, mas amo-te. Amo-te e alimento-me de todo o teu ser. 


As memórias são um monstro dos meus dias. 

No comments:

Post a Comment



blogger template by lovebird